Um texto por ms

mar.15: Uma viagem a bonde

Publicado em 01 d março d 2015

Na grande cidade, plana, montanhosa, rica, miservel, cheia de hiatos, horrores e belezas, o viajante da provncia, chegado h pouco num vaporzinho ronceiro, coleciona surpresas [...]

fev.15: Carnaval 1910

Publicado em 01 d fevereiro d 2015

Eram trs dias bem desagradveis. Sujeitos precavidos fechavam-se, olhavam suspeitosos a rua, mas isto no os livraria de pesares: se se distraam, inundavam-nos jatos dgua [...]

dez.14: Conversa sobre a literatura francesa

Publicado em 01 d dezembro d 2014

Conversa sobre a literatura francesa De Graciliano Ramos [1] No necessitamos de outras palavras para os nossos leitores sobre Graciliano seno aquelas que andam na [...]

nov.14: Conversa sobre Vidas secas

Publicado em 01 d novembro d 2014

Conversa sobre Vidas secas [1] . Uma palestra com Graciliano Ramos O sertanejo da zona rida O homem no seu habitat Brito Broca[2] [...]

out.14: Graciliano e Carpeaux

Publicado em 01 d outubro d 2014

Obras-primas desconhecidas do conto brasileiro Alguns momentos de palestra com Graciliano Ramos Crtica literria na livraria Coelho Neto uma droga Um [...]

abr.14: Virgulino

Publicado em 01 d abril d 2014

H dias surgiu por a um telegrama a anunciar que o meu vizinho Virgulino Ferreira Lampio tinha encerrado a sua carreira, gasto pela tuberculose, deitado [...]

mar.14: “Contemplo o rosto de Graciliano Ramos, morto…”

Publicado em 01 d março d 2014

Graciliano Augusto Frederico Schmidt Contemplo o rosto de Graciliano Ramos, morto: parece-me sereno, tranquilo, adormecido como est no fundo de sua ausncia. Foi um revoltado, [...]

dez.13: Minsk (incio)

Publicado em 01 d dezembro d 2013

Quando tio Severino voltou da fazenda, trouxe para Luciana um periquito. No era um cara-suja ordinrio, de uma cor s, pequenino e mudo. Era um [...]

nov.13: Memrias do Crcere, parte III, captulo XXIV

Publicado em 01 d novembro d 2013

Tinham conseguido armar na cama vizinha um difcil mosquiteiro. Na manh seguinte vi sentado nela um sujeito maduro, atraente, culos grossos de mope, a roupa [...]

out.13: A Terra dos Meninos Pelados, captulos XIV e XV

Publicado em 01 d outubro d 2013

Captulo Quatorze – Quer ouvir o meu projeto? segredou o menino sardento. – Ah! sim. Ia-me esquecendo. Acabe depressa. – Eu vou principiar. Olhe a [...]

set.13: “Pensa-se em introduzir o futebol, nesta terra”

Publicado em 01 d setembro d 2013

Pensa-se em introduzir o futebol, nesta terra. uma lembrana que, certamente, ser bem recebida pelo pblico, que, de ordinrio, adora as novidades. Vai ser, [...]

ago.13: Caets, captulo XXXI

Publicado em 01 d agosto d 2013

Uma tarde, girando por estas ruas, parei na beira do aude, lembrei-me da estrela vermelha e da noite em que Lusa me repeliu. Afastei-me lento, [...]

jul.13: Cultura a servio do povo

Publicado em 01 d julho d 2013

Cultura a servio do povo (1) . Camaradas: No sei bem se o que lhes vou dizer nesta conversa ligeira combina com o ttulo dela, [...]

jun.13: Samuel Smiles

Publicado em 01 d junho d 2013

Eu tinha visto esse nome vrias vezes na seleta, mas, como no sabia pronunci-lo, acostumei-me a tossir no fim das lies em que ele aparecia [...]

mai.13: Um homem forte

Publicado em 01 d maio d 2013

Tem sessenta e oito anos, a pele negra, os cabelos encarapinhados. Nasceu em Pernambuco, chama-se Domingos Jorge da Costa e, sem nunca ter ouvido falar [...]

abr.13: Memrias do Crcere, captulo XXX

Publicado em 01 d abril d 2013

Certa manh os paranaenses foram chamados secretaria e voltaram num ruidoso contentamento: no dia seguinte, com dois rapazes do nordeste e alguns ladres e [...]

mar.13: Caets, Captulo XXIV

Publicado em 01 d março d 2013

Graciliano Ramos publicou o Captulo XXIV de Caets, em primeira mo, no nmero 9 da revista Novidade, em 6 de junho de 1931. O livro, [...]

fev.13: Conversas com Joel Silveira (II)

Publicado em 01 d fevereiro d 2013

Aqui vai o texto de Graciliano Ramos, tal e qual me foi entregue e tal e qual foi publicado na Vamos Ler: Nasci em 27 [...]

jan.13: Conversas com Joel Silveira (I)

Publicado em 01 d janeiro d 2013

A resistncia de Graciliano, fazendo corpo mole e sempre adiando o prometido, e, por outro lado, a minha determinao de arrancar dele a entrevista de [...]

dez.12: A ltima noite de Natal

Publicado em 28 d novembro d 2012

Os grandes olhos claros e aguados boiavam na sombra nevoenta, cheios de espanto. Esfregou-os, arrastou-se pesado e entanguido, mal seguro bengala, sentou-se num banco [...]

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caets (1933)
  • Caets  edio especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angstia (1936)
  • Angstia – edio especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edio especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infncia (1945)
  • Insnia (1947)
  • Memrias do Crcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaos (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histrias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heris (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Helosa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histrias Incompletas (1946)
  • Brando entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memrias de um Negro (1940) Booker T. Washington, traduo
  • A Peste (1950) Albert Camus, traduo

“Aparea o filho da puta que disse que eu no sabia montar em burro bravo!”

Em bilhete enviado a Chico Cavalcanti, aceitando a candidatura a prefeito de Palmeira dos ndios – AL, 1927 (O Velho Graa, Dnis de Moraes, Boitempo, pg. 61)