Álbum de família

Importante: Não foi possível obter autorização para publicação de algumas imagens e desenhos constantes nesta página, por serem resultado de coleta em sites onde não havia a mais remota referência aos seus autores ou aos meios de contato com eles. Se você, como autor — ou herdeiro do autor — destas imagens se sentir prejudicado por esta publicação, pedimos que entre em contato para que possamos regularizar a situação.

.

1888-1923

Da infância ao primeiro casamento

.

.

1924-1936

Do segundo casamento ao cárcere

.

.

1937-1950

Da liberdade ao reconhecimento

.

.

1951-1952

Um escritor internacional

.

.

Os últimos dias

Com algumas imagens capturadas do documentário O mestre Graça, de André Luís da Cunha

.

.

1953-1999

Até a morte de Heloísa Ramos

.

.

Século 21

Imagens de hoje

.

.

Em desenho

Retratos e caricaturas: Graciliano interpretado por artistas do traço

Importante: Não foi possível obter autorização para publicação de algumas imagens e desenhos constantes nesta página, por serem resultado de coleta em sites onde não havia a mais remota referência aos seus autores ou aos meios de contato com eles. Se você, como autor — ou herdeiro do autor — destas imagens se sentir prejudicado por esta publicação, pedimos que entre em contato para que possamos regularizar a situação.

.

.

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caetés (1933)
  • Caetés – edição especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angústia (1936)
  • Angústia – edição especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edição especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infância (1945)
  • Insônia (1947)
  • Memórias do Cárcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaços (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histórias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heróis (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Heloísa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histórias Incompletas (1946)
  • Brandão entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memórias de um Negro (1940) Booker T. Washington, tradução
  • A Peste (1950) Albert Camus, tradução
vidas-secas

“A palavra não foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso.
A palavra foi feita para dizer.”

em entrevista a Joel Silveira, 1948