Blog / Multimdia

Ensaio: Sobre Vidas Secas (2012), de Mrio Alves Coutinho, (04m45 + 04m47)

Publicado em 10 d novembro d 2012

Ensaio de Mrio Alves Coutinho sobre o filme Vidas Secas, caso quase nico de obra prima no Brasil na relao literatura/cinema. Escrito e lanado em 1938, por Graciliano Ramos, este romance esperou por 25 anos para ser filmado. Em 1963, Nelson Pereira dos Santos adaptou-o para o cinema. E a tivemos o que raro uma nova obra-prima, noutra linguagem.

Primeiro Plano 790 – 10/11/12 from Cine Magazine on Vimeo.

.

Segunda parte do ensaio sobre o filme Vidas Secas. Nelson Pereira dos Santos, o nico cineasta brasileiro a ter entrado para a Academia Brasileira de Letras, sempre quis filmar a obra do grande romancista Graciliano Ramos. Em 1963, ele conseguiu realizar a maior obra-prima da sua filmografia, e certamente uma das mais bem realizadas adaptaes da literatura para o cinema.

Primeiro Plano 792 – 24/11/12 from Cine Magazine on Vimeo.

.

Veja mais na categoria Multimdia

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caets (1933)
  • Caets  edio especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angstia (1936)
  • Angstia – edio especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edio especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infncia (1945)
  • Insnia (1947)
  • Memrias do Crcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaos (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histrias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heris (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Helosa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histrias Incompletas (1946)
  • Brando entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memrias de um Negro (1940) Booker T. Washington, traduo
  • A Peste (1950) Albert Camus, traduo

Queria endurecer o corao, eliminar o passado, fazer com ele o que fao quando emendo um perodo riscar, engrossar os riscos e transform-los em borres, suprimir todas as letras, no deixar vestgio de idias obliteradas.

Memrias do Crcere, cap. 5