Blog / Blog

Homenagem a Graciliano abre Salo do Jornalista Escritor

Publicado em 06 d setembro d 2013

Do site do Memorial
Link original

.

http://youtu.be/9sYGD-Vwhes

Clique aqui para ver a programao completa do evento.

.

No poderia ter sido mais coerente com a pauta do II Salo Nacional do Jornalista Escritor, que comeou nesta sexta-feira no Memorial da Amrica Latina, o breve e conciso texto com que o neto de Graciliano Ramos agradeceu a homenagem ao av.

A palavra no foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso. A palavra foi feita para dizer, dizia o jornalista e escritor alagoano, que h exatos 80 anos publicava seu primeiro romance, Caets, que lhe deu o Prmio Brasil de Literatura. O Velho Graa, lembrou Ricardo Ramos Filho, o neto escritor, tambm ensinou que o ato de escrever deve ser como o das lavadeiras na beira do rio. Simples, sem firulas. Se preciso, repetidas vezes, at que a roupa fique bem enxuta.

Outro alagoano, Audlio Dantas, idealizador do Salo em 2007 e agora curador e organizador dessa edio, com o aval da Unio Brasileira de Escritores, falou pouco, como manda o figurino que Ricardo Ramos repetiria em seguida. Foi curto e grosso quando elencou as dificuldades para gestar o evento, que, para ele, no mereceu a mesma considerao da poltica cultural que foi dedicada aos artistas da moda numa referncia recente concesso de benefcios da Lei Rouanet para desfiles de estilistas.

Alm de Audlio e Ricardo Ramos Filho, tambm participaram da abertura do Salo o presidente do Memorial da Amrica Latina, Joo Batista de Andrade, o presidente da Unio Brasileira de Escritores, Joaquim Maria Botelho, o secretrio de Energia estadual, Jos Anibal, representando o governador Geraldo Alckmin, e o presidente da Cmara Municipal, o jornalista Jos Amrico.

O pblico-alvo do encontro estava l: jornalistas e escritores da velha guarda e futuros profissionais, que aps a abertura percorreram o espao do foyer do auditrio Simon Bolivar, onde foi inaugurada a Exposio Fotogrfica Sobre A Histria da UBE Unio Brasileira de Escritores. Os debates comearam por volta das 14h, com o tte--tte dos jornalistas-escritores Juca Kfouri e Herdoto Barbeiro, intermediado por Srgio Gomes. Na segunda mesa, Eliane Brum e Jos Numanne Pinto foram sabatinados por Fernando Mitre. E j na entrada da noite, Antonio Torres e Miram Leito foram colocados no paredo pelas lentes de Joo Batista de Andrade.

A entrada gratuita. A programao segue at domingo noite com vrias duplas de debatedores.

Veja mais na categoria Blog

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caets (1933)
  • Caets  edio especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angstia (1936)
  • Angstia – edio especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edio especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infncia (1945)
  • Insnia (1947)
  • Memrias do Crcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaos (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histrias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heris (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Helosa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histrias Incompletas (1946)
  • Brando entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memrias de um Negro (1940) Booker T. Washington, traduo
  • A Peste (1950) Albert Camus, traduo

“Aparea o filho da puta que disse que eu no sabia montar em burro bravo!”

Em bilhete enviado a Chico Cavalcanti, aceitando a candidatura a prefeito de Palmeira dos ndios – AL, 1927 (O Velho Graa, Dnis de Moraes, Boitempo, pg. 61)