Blog / Notcias

Caio Blat dever viver Graciliano Ramos no cinema

Publicado em 30 d maio d 2014

Do site Agenda A
Link original

.

Aps o fim das negociaes para a aquisio dos direitos da obra de Graciliano Ramos com a famlia do escritor, o produtor Rodrigo Teixeira, da RT Features, anunciou durante o Festival de Cannes que far refilmagem de Memrias do Crcere, trinta anos aps a adaptao do livro homnimo do escritor alagoano filmada por Nelson Pereira dos Santos, que levou o prmio da crtica internacional do Festival de Cannes em 1984.

De acordo com o produtor, a nova verso dever ser dirigida por Jos Eduardo Belmonte, diretor do recm-lanado Alemo, e teria o ator Caio Blat como Graciliano – na adaptao de Nelson Pereira dos Santos, o escritor foi interpretado pelo ator Carlos Vereza. De acordo com informaes repassadas pelo produtor, as filmagens teriam incio em 2015 e o lanamento do filme estaria previsto para 2016.

Memrias do Crcere relata os dois anos em que Graciliano Ramos foi preso injustamente durante a ditadura de Getlio Vargas. Em maro de 1936, acusado sem que a acusao fosse formalizada de ter conspirado no malsucedido levante comunista de novembro de 1935, demitido da Direo da Instruo Pblica de Alagoas (cargo equivalente ao de secretrio estadual de Educao), detido em Macei e enviado a Recife, onde embarcado com destino ao Rio de Janeiro no navio “Manaus”, com outros 115 presos. No perodo em que esteve preso no Rio, at janeiro de 1937, passou pelo Pavilho dos Primrios da Casa de Deteno, pela Colnia Correcional de Dois Rios (na Ilha Grande), voltou Casa de Deteno e, por fim, pela Sala da Capela de Correo.

Veja mais na categoria Notcias

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caets (1933)
  • Caets  edio especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angstia (1936)
  • Angstia – edio especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edio especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infncia (1945)
  • Insnia (1947)
  • Memrias do Crcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaos (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histrias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heris (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Helosa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histrias Incompletas (1946)
  • Brando entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memrias de um Negro (1940) Booker T. Washington, traduo
  • A Peste (1950) Albert Camus, traduo

“A palavra no foi feita para enfeitar, brilhar como ouro falso.
A palavra foi feita para dizer.”

em entrevista a Joel Silveira, 1948