Blog / Notcias

NOTA SOBRE O ATAQUE HACKER SOFRIDO POR ESTE SITE

Publicado em 16 d outubro d 2014

Face repercusso decorrente da divulgao do ataque que este site sofreu ontem, venho esclarecer alguns pontos. E falo em meu nome, como webmaster.

Durante a manh de anteontem, 14 de outubro, recebi de amigos e parceiros a informao de que o site estava com comportamento atpico. Verifiquei ento que ele havia sido invadido: em seu lugar havia uma pgina de fundo preto com a imagem de uma pessoa em trajes rabes, um texto em rabe, uma nota em ingls e uma msica rabe tocando ao fundo.

Eu j havia passado por situaes semelhantes (no com este site) em que o invasor fez apenas aquilo que o jargo chama de “deface”, um desfiguramento da pgina de abertura, preservando (ou no atacando) o resto do contedo do servidor. Quando isso acontece, a soluo simples: apaga-se a pgina que est provocando o “deface” e tudo volta ao normal.

No entanto, percebi logo em seguida que todo o contedo, todas as pginas do site tinham sido apagadas na noite anterior, numa atitude pouco usual e at incoerente com a aparente militncia do invasor. Com isso, o ato de rebeldia (compreensvel), desceu ao nvel de terrorismo, por desnecessrio e excessivamente violento. E para piorar, outros trs sites que estavam hospedados no mesmo servidor (um deles, meu) tambm foram afetados, inteiramente apagados.

Informei famlia do escritor quanto ao ocorrido e comeamos a pensar numa soluo. Escrevi a nota que se via no site at a publicao deste esclarecimento e a notcia repercutiu muito mais do que eu esperava, graas importncia do escritor.

Nesse meio tempo, entrei em contato com a Wezen, empresa que desenvolveu o modelo em WordPress usado no site desde dezembro de 2012, e fui lembrado de que havia um sistema de back-up automtico rodando no servidor desde o incio, gravando semanalmente uma cpia de segurana de todo o contedo numa pasta na “nuvem”. Apesar de este back-up estar inexplicavelmente defasado, pudemos, com esses arquivos mais a base de dados (que no havia sido afetada), fazer o site voltar ao ar, com algumas perdas, mas bastante completo. Infelizmente, o mesmo no acontecer com os outros sites atacados, pois no tinham esse sistema de back-up automtico.

Espero ter esclarecido o ocorrido aos interessados.

Obrigado.

Albano Martins Ribeiro
webmaster

__________
Abaixo, parte da repercusso na imprensa:

http://g1.globo.com/pop-arte/noticia/2014/10/site-do-escritor-graciliano-ramos-e-invadido-por-hackers-e-tirado-do-ar.html
http://cultura.estadao.com.br/noticias/literatura,site-do-escritor-graciliano-ramos-e-atacado-por-hackers,1577388
http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2014/10/1533159-acao-de-hackers-deixa-site-de-graciliano-ramos-fora-do-ar.shtml
http://www.cbnfoz.com.br:8080/editorial/entretenimento/15102014-219513-site-do-escritor-graciliano-ramos-e-invadido-por-hackers-e-tirado-do-ar
http://oglobo.globo.com/cultura/livros/site-de-graciliano-ramos-invadido-por-hackers-14258193
http://oglobo.globo.com/cultura/livros/conteudo-do-site-de-graciliano-ramos-sera-recuperado-14262992

Veja mais na categoria Notcias

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caets (1933)
  • Caets  edio especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angstia (1936)
  • Angstia – edio especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edio especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infncia (1945)
  • Insnia (1947)
  • Memrias do Crcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaos (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histrias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heris (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Helosa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histrias Incompletas (1946)
  • Brando entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memrias de um Negro (1940) Booker T. Washington, traduo
  • A Peste (1950) Albert Camus, traduo

Queria endurecer o corao, eliminar o passado, fazer com ele o que fao quando emendo um perodo riscar, engrossar os riscos e transform-los em borres, suprimir todas as letras, no deixar vestgio de idias obliteradas.

Memrias do Crcere, cap. 5