Blog / Notcias

Reabertura da Biblioteca Pblica Estadual Graciliano Ramos

Publicado em 01 d dezembro d 2014

Por TELMA ELITA
Para a GAZETA DE ALAGOAS
Link original

.

A nova Graciliano Ramos tem sala exclusiva para autores alagoanos e obras sobre o estado (6.076 exemplares) e outra sala para o acervo de obras raras (6.300 livros)

.

Se pudesse, abandonaria tudo e recomearia as minhas viagens. Esta vida montona, agarrada banca das nove horas ao meio-dia e das duas s cinco, estpida. Vida de sururu. Estpida. Quando a repartio se fecha, arrasto-me at o relgio oficial, meto-me no primeiro bonde de Ponta-da-Terra. Esse um trecho da obra de Graciliano Ramos, Angstia (1936). O personagem, Lus da Silva, percorre ruas, vive Macei. Essa repartio to montona quanto vida , no livro, est localizada na Praa D. Pedro II, centro da capital. Cenrio do Mestre Graa, lugar da Biblioteca Pblica Estadual Graciliano Ramos, que nesta tera-feira (25), s 19h, abre as portas, reinventada.

Todo o processo de restaurao e modernizao, orado em R$ 3,4 milhes, fruto do convnio do Governo de Alagoas, via Secretaria de Estado da Cultura, com a Fundao Biblioteca Nacional, vinculada ao Ministrio da Cultura, levou mais de trs anos. Parece muito. Mas a tarefa no era simples. Primeiro, a retirada de 90 mil livros muitas obras raras. Depois, a elaborao de um projeto que aliasse a criao de uma biblioteca moderna acessvel, iluminada, interativa, at mesmo colorida sediada num prdio histrico, construdo h exatos 170 anos. O Palacete Baro de Jaragu comeou a ser erguido em 1844. A obra somente foi finalizada cinco anos depois.

O Palacete Baro de Jaragu faz jus ao nome. So trs pavimentos, 54 salas. A casa do portugus Jos Antnio de Mendona, o Baro de Jaragu, foi inclusive cedida a D. Pedro II e a D. Teresa Cristina, em 1859, na vinda do casal imperial a Alagoas, ainda provncia. uma residncia de propores impressionantes, ainda quando comparada aos padres atuais. Nosso desafio era manter as caractersticas de um prdio histrico, mas dot-lo de acessibilidade. Hoje, temos rampas para cadeirantes, dois elevadores. A iluminao tambm tinha que ser adequada necessidade de uma biblioteca, conta o secretrio da Cultura, Osvaldo Vigas.

A partir da quarta-feira (26), dia seguinte inaugurao, a Biblioteca se abre a diferentes pblicos, no horrio das 9h s 17h sem intervalo para almoo. Foram criados: setor em braile, bebeteca, espao infantojuvenil. A rea desenvolvida para deficientes visuais dotada de mais de mil livros. Os pontinhos na pgina em branco revelam as aventuras de Jorge Amado (Gabriela, cravo e canela) e as desventuras de Raul Pompia (O Ateneu), dentre outros autores.

Ao todo, estaro disponveis 70 mil ttulos. Alm dos espaos j mencionados, haver uma sala exclusiva para autores alagoanos e obras que tratem sobre o estado (6.076 exemplares) e outra para o acervo de obras raras (6.300 livros). Os ttulos so acomodados em mobilirio moderno, com estantes baixas, que favorecem a iluminao e a ventilao.

 

Convite para a reabertura:

Convite rebertura BPEGR

Veja mais na categoria Notcias

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caets (1933)
  • Caets  edio especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angstia (1936)
  • Angstia – edio especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edio especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infncia (1945)
  • Insnia (1947)
  • Memrias do Crcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaos (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histrias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heris (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Helosa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histrias Incompletas (1946)
  • Brando entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memrias de um Negro (1940) Booker T. Washington, traduo
  • A Peste (1950) Albert Camus, traduo

“Os dados biogrficos que no posso arranjar, porque no tenho biografia. Nunca fui literato, at pouco tempo vivia na roa e negociava. Por infelicidade, virei prefeito no interior de Alagoas e escrevi uns relatrios que me desgraaram. Veja o senhor como coisas aparentemente inofensivas inutilizam um cidado.”

em carta a Ral Navarro, tradutor, nov.1937