Obra

Conversas

Conversas (2014)

Conversas reúne 45 entrevistas, enquetes e depoimentos que Graciliano Ramos concedeu a diferentes veículos jornalísticos ao longo de sua trajetória intelectual, desde 1910 até 1952. A obra inclui ainda 19 causos (pequenas narrativas de caráter anedótico), cuja figura central é o autor de Vidas secas. Rigorosamente anotado e disposto em ordem cronológica, esse conjunto de textos oferece leituras inéditas de sua vida pessoal, artística e política, permitindo divisar outro Graciliano, para além da imagem consolidada de um homem tão só calado e avesso a bate-papos. Conversas revela as facetas bem-humorada, simpática e falante do escritor, que não deixava de se posicionar de modo direto e contundente sobre as principais questões da época em que viveu.

São questões centrais em Conversas: o olhar crítico de Graciliano para as conquistas e os limites do modernismo de 1922; seu prazer com a abertura da ficção de 1930 para os problemas do país, mas a inquietação ante a decadência do romance brasileiro a partir de 1936 ao se alhear da realidade; a importância dos contos-capítulos na trajetória pessoal e artística do autor de Vidas secas e seu empenho na organização da antologia de contos das diversas regiões do Brasil; o horror de Graciliano às falsificações; sua crítica contra o fascismo; a consciência da necessidade de ser útil, que o levou a filiar-se ao Partido Comunista.

Saiba mais.

.

Edições nacionais

1ª Edição: 2014 (Record)
Gênero: Vários (entrevistas, enquetes, depoimentos e causos. Encarte com fotos das reportagens e de manuscritos de Graciliano)
Edição mais recente pela Editora Record: 1ª (2014)

Organização de Ieda Lebensztayn e Thiago Mio Salla

 

Edições estrangeiras

Ainda não há edições estrangeiras desta obra

 

Capas

Não há mais capas para esta obra

 

Ilustrações

Não há ilustrações nesta obra

 

CONHEÇA A OBRA DE GRACILIANO RAMOS

  • Caetés (1933)
  • Caetés – edição especial 80 anos (2013)
  • S. Bernardo (1934)
  • Angústia (1936)
  • Angústia – edição especial 75 anos (2011)
  • Vidas Secas (1938)
  • Vidas Secas – edição especial 70 anos (2008)
  • Vidas Secas – em quadrinhos (2015)
  • Infância (1945)
  • Insônia (1947)
  • Memórias do Cárcere (1953)
  • Viagem (1954)
  • Linhas Tortas (1962)
  • Viventes das Alagoas (1962)
  • Garranchos (2012)
  • Cangaços (2014)
  • Conversas (2014)
  • A Terra dos Meninos Pelados (1939)
  • Histórias de Alexandre (1944)
  • Alexandre e Outros Heróis (1962)
  • O Estribo de Prata (1984)
  • Minsk (2013)
  • Cartas (1980)
  • Cartas de Amor a Heloísa (1992)
  • Dois Dedos (1945)
  • Histórias Incompletas (1946)
  • Brandão entre o Mar e o Amor (1942)
  • Memórias de um Negro (1940) Booker T. Washington, tradução
  • A Peste (1950) Albert Camus, tradução
vidas-secas

Queria endurecer o coração, eliminar o passado, fazer com ele o que faço quando emendo um período — riscar, engrossar os riscos e transformá-los em borrões, suprimir todas as letras, não deixar vestígio de idéias obliteradas.

Memórias do Cárcere, cap. 5